quarta-feira, 7 de junho de 2017

Estação Meteorológica na mídia


Reportagem sobre o desenvolvimento da Estação Meteorológica em parceria com a UNESP
Veja a reportagem AQUI 
Fonte: Link Vanguarda

quinta-feira, 1 de junho de 2017

Sistema de alerta para desastres naturais - teste

Objetivo: Sensibilização para prevenção de desastres naturais através de dados sobre condições meteorológicas , como chuvas fortes, que possam impactar no entorno da escola. O sistema  permite  tomada de  ações antecipadas através do sinal de alerta.

terça-feira, 23 de maio de 2017

Parceria com a UNESP na Eletiva Estação Meteorológica

1° Momento :  Aula sobre a Dinâmica da Atmosfera com a Prof° Luana Pampuch.

Aula com a Prof° Luana Pampuch, UNESP, sobre a atmosfera terrestre

2° Momento:  Apresentação dos projetos que estão sendo desenvolvidos na eletiva.
A aluna Michelle explica o funcionamento do sistema de alerta 
O aluno João Paulo mostra o funcionamento do anemômetro 



Utilização do Arduino como plataforma para desenvolvimento dos dados da estação meteorológica
Visita muito oportuna  dos Prof°s Luana Pampuch, Antonio Saraiva e Adriano Gonçalves  do  curso de  Eng° Ambiental da UNESP/São José dos Campos. 

terça-feira, 18 de abril de 2017

Reunião Projeto Cachoeiras - 2º edição Paraíba do Sul

Imagem Pedro Oliva
Em 2015, Pedro Oliva percorreu 1.300 quilômetros ao longo de todo o curso do Rio Paraíba do Sul a partir de cabeceira para o oceano em um caiaque.  O objetivo desta expedição foi contribuir para construir e disseminar o conhecimentos sobre o estado da qualidade da água do rio e da exposição ao risco socioambiental, além de incentivar a qualidade de vida por meio do esporte. ( Liliam Medeiros)


A primeira oficina de cartografia social do Projeto Cachoeiras aconteceu na nossa escola e contou com a participação do canoísta Pedro Oliva, da pesquisadora Rachel Trajber, da Professora Liliam Medeiros e dos alunos do curso de Eng. Ambiental da Unesp SJC, além da comunidade escolar.


A atividade de cartografia social utilizada pelo Projeto Cachoeira inspirou uma proposta pedagógica de mapeamento participativo onde os alunos pudessem conhecer e representar o entorno da escola a fim de perceber os conflitos ambientais que impactam na qualidade das águas da Bacia Hidrografia do Rio Paraíba do Sul.



Durante o desenvolvimento das atividades de cartografia social foi possível perceber a preocupação dos estudantes com a ocupação desordenada e a vulnerabilidade dessa população na estação das chuvas. O mapeamento participativo do entorno da escola possibilitou um novo olhar sobre a segregação do espaço e as relações de poder que vão impactar nas águas do Rio Paraíba do Sul e consequentemente na qualidade de vida da população. 


Imagem Allan Yu
O projeto de extensão “Cartografia social e histórias orais ao longo do rio Paraíba do Sul” coordenado pela Profº Liliam Medeiros visa dar  continuidade às atividades  desenvolvidas no projeto Cachoeiras. 

Agradecemos a oportunidade de participar dessa nova etapa do projeto e aprender com todos vocês. 

sábado, 25 de março de 2017

Na mídia


Para ler na íntegra : http://www.cemaden.gov.br/cemaden-recebe-visita-de-alunos-integrantes-de-projeto-de-extensao-cientifica/ 
Fonte: CEMADEN 

sexta-feira, 24 de março de 2017

Hora do planeta


Conforme orientação técnica da D.E. de São José dos Campos no dia 16 de Março, envolvemos os estudantes na Hora do Planeta.


As luzes foram apagadas durante 60 minutos e aproveitamos para conversar sobre as mudanças climáticas.
É preciso compreender a linha de tempo que começa no final do século 18 com a Revolução Industrial e sua expansão na segunda metade do século 20. Isso gerou um grande aumento de emissões de gases de efeito estufa na atmosfera.  O aumento da emissão de gases de efeito estufa por queima de combustíveis fósseis (dos automóveis, das indústrias, usinas termoelétricas), queimadas, desmatamento, decomposição de lixo tem consequências que são irreversíveis na natureza.  
Os desafios para alcançar a sustentabilidade do planeta nos apontam uma necessidade urgente de agir, e a nossa escola tem uma proposta pedagógica que fortalece  a participação dos estudantes em processos de transformação, uma vez que possibilita o protagonismo que vai intervir nas relações entre os estudantes e a coletividade e consequentemente em um espaço mais sustentável. Todas as ações ambientais da escola estão centralizadas na Agenda Ambiental Escolar. 
Referência : INPE - Mudanças Climáticas. 

quarta-feira, 22 de março de 2017

Visita ao CEMADEN


O Cemaden atua no monitoramento das ameaças naturais em áreas de riscos em municípios brasileiros suscetíveis à ocorrência de desastres naturais, além de realizar pesquisas e inovações tecnológicas que possam contribuir para a melhoria de seu sistema de alerta antecipado, com o objetivo final de reduzir o número de vítimas fatais e prejuízos materiais em todo o país.

Os principais desastres naturais registrados no Brasil são decorrentes tanto de excesso de água — deslizamentos em encostas, desmoronamentos, inundações, enxurradas — quanto decorrentes de sua escassez — colapso de safras agrícolas e de sistemas de abastecimento de água a populações humanas e animais, causadas por secas no Nordeste e em outras áreas susceptíveis, como Sul e Sudeste.


O Cemaden opera 24 horas por dia, sem interrupção, monitorando, em todo o território nacional, as áreas de risco de 957 municípios classificados como vulneráveis a desastres naturais. Entre outras competências, envia os alertas de desastres naturais ao Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad), do Ministério da Integração Nacional (MI), auxiliando o Sistema Nacional de Defesa Civil. 

Pluviômetro semiautomático 

A Débora nos recepcionou e explicou a proposta do Cemaden Educação que atua junto às escolas de Ensino Médio localizadas em  áreas de riscos de desastres socioambientais. A proposta visa contribuir para uma cultura da percepção de riscos de desastres  e da construção de sociedades sustentáveis e resilientes. 


Agradecemos a oportunidade de conhecer  as atividades operacionais  na sala de situação e todo o processo que envolve a atuação coordenada entre vários  órgãos em relação à gestão de monitoramento e alertas, alarme e articulação, resposta e mobilização.

terça-feira, 21 de março de 2017

Visita Pedagógica na UNESP

Imagem UNESP 
Estação Meteorológica 



Agradecemos a todos da UNESP de São José dos Campos  pela oportunidade de conhecer os laboratórios do Curso de Eng° Ambiental e toda a infra estrutura que a faculdade oferece para os alunos que estão concluindo o Ensino Médio. Foi uma experiencia incrível. Agradecemos especialmente a Professora Luana pela parceria no desenvolvimento da Estação Meteorológica no Ensino Médio Integral. 

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Estação Meteorológica no Ensino Integral



A Meteorologia é uma área do conhecimento que envolve coleta e análise de dados atmosféricos que são fundamentais para o reconhecimento das condições atmosféricas essenciais para compreender e prever os fenômenos climáticos que podem influenciar o cotidiano das pessoas.
O estudo da Meteorologia agrega áreas como Física e Geografia e é uma ciência importante para a formação social e política das pessoas, especialmente para os alunos do Ensino Médio. O entendimento dos fenômenos climáticos pode contribuir para a percepção de riscos de desastres e criar novas possibilidades para uma aprendizagem transformadora. 


Objetivo:  Despertar o interesse pela meteorologia, características climáticas e suas alterações, numa perspectiva interdisciplinar para prevenção de desastres naturais.

Objetivos específicos:  Aplicação de conceitos de Física e  Geografia na compreensão de fenômenos meteorológicos;
-  Familiarização com os conceitos e a instrumentação básica da meteorologia pela observação, medição, organização, apresentação e interpretação dos dados registrados
- Mapa da vulnerabilidade de ameaças e riscos naturais no entorno da escola.
- Propiciar a criação de estratégias voltadas para a redução de vulnerabilidades a riscos na comunidade escolar.
- Aprendizagem significativa para a prevenção de desastres a partir da produção do conhecimento na escola.

Justificativa: Pode-se prever ou perceber as alterações nas condições climáticas de uma determinada região através do conhecimento de algumas grandezas como umidade relativa, temperatura, pressão e velocidade dos ventos, dentre outras. Assim, pretendemos mostrar como estas alterações podem ser observadas e qual as consequências dessas mudanças no entorno da escola. 

Parcerias: UNESP e CEMADEN 

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Ações da Agenda Ambiental da escola

Reaproveitamento integral dos alimentos e desperdício ZERO no refeitório
Conforto Térmico/Estético


Cuidado com o entorno : Educação em prevenção de riscos de desastres
Ações de preservação da Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba do Sul
Oficinas ambientais envolvendo a comunidade escolar
Protagonismo juvenil e fortalecimento da cidadania ambiental 
Desenvolver tecnologias ambientais 
Incentivo à iniciação científica 
Consumo Consciente e trocas solidárias
Reciclagem - Óleo de cozinha 
Reaproveitamento de materiais e produção de mudas de árvores